Dr.Mariana Garcia - Logo
  • slidebg1

PEELINGS

O uso de agentes esfoliantes para “renovação” da pele data do Egito antigo. Eram usados óleos animais, leite talhado, sal de alabastro e outras substâncias que promoviam uma esfoliação da pele, deixando-a mais macia, brilhosa e com aparência mais elegante. Com o passar dos anos uma variedade de agentes esfoliantes foram introduzidos e também usados em combinações para que se atingisse camadas cada vez mais profundas da pele. Desta maneira, os peeling químicos podem ser divididos em superficiais, médios e profundos. De acordo com o tipo de pele, cor, quantidade de rugas e manchas, utilizamos um determinado tipo de peeling.

O procedimento é realizado em consultório pelo médico e, após alguns dias, a pele sofre um processo de ressecamento seguido do inicio da descamação. De acordo com a profundidade do peeling, a descamação varia de intensidade, podendo durar de 2 até 7 dias. Para que o resultado seja satisfatório, o paciente não pode puxar as casquinhas e nem se expor ao sol durante o período de recuperação. Além disso, um preparo da pele com ácidos e/ou cremes despigmentantes nas 2 semanas que antecedem o peeling deve ser feito, e, depois do procedimento, também é necessário uma manutenção com uso de filtro solar e cremes adequados para o tipo de pele.

As principais indicações para os peelings químicos são: manchas na pele, acne ativa ou cicatrizes de acne e para rejuvenescimento (diminuição de rugas e ceratoses derivadas da exposição solar).